Conheça os verdadeiros sintomas da esquizofrenia

esquizofrenia

Conheça os verdadeiros sintomas da esquizofrenia

Distúrbio é caracterizado por experiências que parecem fugir da realidade

 

A esquizofrenia é uma das doenças mentais mais comuns no Brasil, com média superior a 150 mil casos por ano. O distúrbio ainda não possui causa exata, porém, alguns fatores como estrutura química, ambiente e genética podem contribuir para o seu surgimento. A patologia costuma ser conhecida por fazer com que as pessoas tenham comportamentos que parecem não estar ligados à realidade, o que prejudica de maneira severa seus cotidianos.

Além de ter pensamentos e atitudes que podem ser considerados fora do normal para uma pessoa saudável, o esquizofrênico pode desenvolver problemas na fala e uma agitação muito acima do comum. Outro possível sintoma é a dificuldade de concentração que, consequentemente, faz com que o paciente também tenha problemas de memória. Com isso, as atividades que eram realizadas por essa pessoa começam a ser comprometidas, fazendo com que ela se afaste ainda mais das questões reais e palpáveis de sua vida.

O comportamento do indivíduo que sofre de esquizofrenia pode sofrer inúmeras variações, incluindo às vezes sinais de agressividade e agitação. Muitas vezes, a pessoa pode ter atitudes hostis com seus entes mais próximos sem ter nenhum motivo aparente. Além disso, também é possível que esse tipo de paciente se torne repetitivo em muitos momentos, tanto em suas ações, quanto em seus diálogos. O isolamento social também é um dos fatores mais comuns entre os esquizofrênicos.

Sobre os sintomas psicológicos da doença, eles consistem em delírios frequentes e constantes. Dentro disso, é possível que o paciente sofra com delírios de diversos tipos, como de perseguição, religioso, grandiosa e que podem apresentar uma série de sentimentos negativos como medo e desconfiança. Além disso, essa pessoa também pode apresentar sintomas graves de depressão e escutar vozes que ninguém ouve e apenas o paciente escuta. A falta de resposta emocional para determinadas situações também são é outro que pode acontecer.

Assim como diversos transtornos da mente, a esquizofrenia não tem cura, mas possui tratamento, que deve ser feito durante toda a vida de um paciente. Geralmente, esse tratamento costuma envolver psicoterapia, cuidados especializados e uso de medicamentos – antipsicóticos. Desde o diagnóstico da doença, até o tratamento e o acompanhamento, o paciente deve contar com profissionais como psiquiatras, clínicos gerais e psicólogos clínicos. Além disso, também é indicada a presença em grupos de apoio e em terapias cognitivas.

O acompanhamento da família é muito importante nesse processo, contribuindo e estimulando o paciente nas etapas do tratamento.