O papel de cada profissional na recuperação de dependentes químicos

recuperação

Como é o tratamento na recuperação de dependentes químicos?

A dependência química é um problema que pode surgir em qualquer família, em qualquer momento, em qualquer lugar. Se alguém da sua família está sofrendo com o vício causado pelas drogas, não se desespere.

Com os avanços da Medicina e com os estudos sobre assunto, foi descoberto que unir profissionais de diferentes áreas para reabilitar o dependente é fundamental para a sua recuperação.

Pensando nisso, listamos alguns profissionais e suas contribuições que são essenciais para auxiliar na recuperação de dependentes químicos.

Psicólogo

Dentre tantas funções que um psicólogo realiza para o tratamento de um dependente químico, destaca-se sua aptidão para tratar o motivo que levou o dependente a recorrer às drogas como uma saída para os problemas.

Na maioria dos casos, um problema pessoal, familiar e, até mesmo, social gera a vontade de buscar as drogas e, por isso, é necessário resolvê-la para que o dependente não tenha recaídas ou crises de abstinência.

É também função do psicólogo manter o controle mental do paciente mesmo após a desintoxicação. Quadros como ansiedade e pensamento acelerado podem surgir, prejudicando a recuperação já que podem ser gatilhos para recaídas.

Portanto, é evidente que o papel do psicólogo para a recuperação de um dependente químico é de suma importância, trazendo grandes benefícios ao paciente e à sociedade.

Psiquiatra

Nem todos os dependentes químicos que tentam se recuperar conseguem se livrar de seus vícios sem auxílio do uso de remédios. No exemplo de dependentes que usam drogas depressoras do Sistema Nervoso Central, como o álcool, por exemplo, a falta das substâncias podem gerar fortes crises de abstinência.

Nesses casos, é necessário o auxílio de um psiquiatra para a avaliação da necessidade de remédios e para o acompanhamento do paciente a fim de recuperá-lo da crise, evitando recaídas. Além disso, os medicamentos podem auxiliar na melhora dos sintomas de abstinências, no tratamento de outras doenças que podem estar associadas como depressão, ansiedade, esquizofrenia, bipolar por exemplo.

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional trabalha na recuperação do dependente químico que tem dificuldades em realizar as tarefas cotidianas. Ela tem foco na construção ou na reconstrução do cotidiano, de acordo com as necessidades de cada um.

O terapeuta ocupacional analisa o paciente como um todo, utilizando tarefas prescritas para alcançar seu objetivo. Essas atividades que farão parte do tratamento são feitas de maneira criteriosa por esse profissional para adequar todas as necessidades, observando sempre as dificuldades do dependente, além de visar sua satisfação dentro de seu tratamento.

Nutricionista

O organismo de um dependente químico, durante e após o processo de desintoxicação, fica bastante debilitado. É comum perda de peso, perda de cabelo e até mesmo delírios. Muitas vezes ocorre falta de nutrientes necessários ao corpo. Com isso, o organismo fica fraco e bastante suscetível a outras doenças.

Dessa forma, o nutricionista vem com o papel de tratar o organismo do paciente, concedendo a ele uma dieta balanceada que traga de volta a vitalidade para que ele volte a ser saudável. Assim, o indivíduo se torna mais propenso a aderir ao tratamento e não voltar à dependência.

Enfermeiros

Não menos importantes que os outros profissionais, os enfermeiros são responsáveis por um trabalho delicado: acompanhar de perto o passo a passo da recuperação do paciente. A dependência química é uma enfermidade que precisa de atenção e cuidado, e o enfermeiro é o responsável por isso.

O principal papel dele é dar assistência junto ao médico e atender em casos especiais às necessidades prescritas aos pacientes, como a dosagem e o acompanhamento de medicações, por exemplo.

Então, é importante que o enfermeiro acompanhe o dependente químico, principalmente para que nos primeiros momentos não haja recaídas. Por isso, esse profissional é indispensável para o sucesso da resolução desse problema.

A enfermagem atua principalmente quando o paciente encontra-se em clínicas de recuperação, a não ser que a depender da debilidade do paciente, o mesmo encontra-se em domicilio e necessite de cuidados da enfermagem.

Estes são alguns dos profissionais que ajudam na recuperação de dependentes químicos. No entanto, é importante pontuar que a família, os amigos e os colegas de trabalho são tão fundamentais quanto a ajuda especializada.

Tudo o que um dependente químico em recuperação precisa nesses momentos de dificuldade é de compreensão, de paciência e de bastante apoio. A tendência é que ele se isole cada vez mais tanto no momento do vício quanto no momento da reabilitação. Não deixe que ele se sinta desamparado. Combinado?

Então, o que achou das funções desses profissionais? Sentiu falta de algum? Conta pra gente nos comentários.