Sintomas e tratamentos do TDAH

TDAH

Sintomas e Tratamentos do TDAH

Saiba mais sobre o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade

 

O TDAH, sigla para transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, é uma doença neurobiológica que surge na infância e pode persistir durante a vida adulta de um indivíduo. Quem tem TDAH, pode apresentar sintomas combinados de hiperatividade com desatenção, ou predominantemente hiperatividade ou predominante desatenção. 

Sobre as causas para o surgimento do TDAH, é importante saber que o transtorno é genético e hereditário e que, portanto, pode ser sido herdado de pessoas próximas como pai e mãe, ou até de parentes um pouco mais distantes. Além disso, outros fatores como nascimento prematuro ou com baixo peso e o uso de drogas – como cigarro ou álcool – durante a gestação também podem contribuir para o surgimento da doença.

 

Descoberta do TDAH

 

Cerca de 95% dos casos de déficit de atenção surgem antes dos 12 anos, sendo que a idade média para que os sintomas comecem a ficar evidentes é 7 anos. Isso porque o transtorno surge durante o desenvolvimento da criança, ou seja, no momento em que ela começa a ter questionamentos e pensamentos mais complexos.

Entre os sintomas da doença que mais se destacam está a falta de atenção. Esse fator pode influenciar no desempenho do paciente na escola, por exemplo, fazendo com que ele tenha dificuldade de entender a professora e que fique entediado com facilidade, devido a hiperatividade. Além disso, é comum que o portador do TDAH apresente uma inquietude que o faça conseguir executar diversas tarefas ao mesmo tempo, porém não consiga concluir nenhuma.

 

A doença, que é mais comum em meninos do que meninas, precisa da atenção máxima dos pais para ser descoberta. Sinais como falta excessiva de paciência, dificuldade para realizar tarefas longas e impulsividade demasiada podem indicar que a criança convive com o transtorno.

 

Prejuízos a vida adulta

 

Quando não tratado durante a infância, o TDAH pode gerar diversos danos à saúde do portador da doença em sua vida adulta. Isso porque, depois de tantos anos convivendo com problemas de hiperatividade e falta de atenção, as consequências causadas pelo transtorno já fazem parte de sua rotina, fazendo com que o paciente tenha dificuldade para admitir o problema.

Dessa forma, a tendência é que o adulto com TDAH possua problemas de relacionamento ao longo de sua vida, impossibilitando-o, muitas vezes, de criar vínculos afetivos duradouros. Além disso, ele também pode encontrar problemas na vida profissional, tendo dificuldades para se enquadrar em ambientes de trabalho e para realizar tarefas longas e consideradas, por ele, exaustivas.

Por esses motivos, é imprescindível que a descoberta do TDAH seja feita ainda na infância do paciente. Dessa forma, é possível evitar que ele venha a sofrer danos irreparáveis durante sua vida. Além disso, os problemas causados pela doença podem fazer com que a criança esconda uma infelicidade constante, o que a prejudicará durante todo o seu desenvolvimento.

Tratamento

O tratamento do TDAH consiste em visitas terapêuticas e psiquiátricas constantes e, muitas vezes, no uso de medicamentos que visam, teoricamente, deixar o paciente mais focado e menos hiperativo. Além disso, principalmente no caso das crianças, é preciso incluir um plano de ações fixo, que irá ajudar o indivíduo a se concentrar mais e a organizar melhor as suas tarefas.

Práticas simples, como anotar em uma agenda todas as obrigações, ou criar um método específico para manter o foco durante as atividades, podem ajudar no tratamento da doença.  Além disso, o apoio dos pais é fundamental nessa transição. Eles devem entender que alguns comportamentos, como desatenção e falta de concentração, são partes da doença, e devem auxiliar seus filhos – psicologicamente e emocionalmente – durante essa jornada.