Qual a relação entre a depressão e o uso abusivo de drogas?

depressão e drogas

Qual a relação entre a depressão e o uso abusivo de drogas?

O abuso de drogas tem se tornado um crescente problema de saúde pública em diversos países do mundo todo e esse aumento está profundamente relacionado com uma série de comportamentos violentos e criminais, que podem levar o indivíduo a situações de perigo para a sua própria segurança e também de outras pessoas.

A associação entre o abuso de drogas e a depressão possui uma resultante bastante simbólica em nossa cultura. Não é incomum observarmos pessoas que fazem uso crônico de álcool e/ou outras drogas e instintivamente fazermos afirmações de que esses indivíduos devem ter experimentado um profundo desgosto em algum momento de suas vidas.

A existência humana é pautada por diversos momentos dramáticos, e que dependendo das influências que nos submetemos, podemos vivenciar diferentes caminhos conforme nossas fraquezas e potencialidades. Mas não podemos simplesmente fazer uma relação direta entre alterações mentais e fato ocorridos na vida de cada um, nem sempre a intensificação do uso de drogas está relacionada a momentos de tristeza, quantas vezes o uso começou quando tudo era uma brincadeira? Apenas para se animar durante uma festa na faculdade ou conseguir fazer parte de um grupo de pessoas em específico?

Quais são os dados atuais sobre o abuso de drogas em concomitância com estados depressivos?

Os principais estudos acerca desse tema, ECA (Pidemiological Catchment Area) e o NCS (National Comorbidity Survey) conduzido entre as décadas de 80 e 90, revelaram a extrema relação dos transtornos afetivos no aumento do risco do abuso de drogas lícitas e ilícitas.

O NCS mostra que pessoas com depressão possuem o dobro de chance de apresentar Problemas Relacionados a álcool e drogas (PRAD), já em pacientes portadores de Transtorno Bipolar, esse risco é sete vezes maior.

No caso da ECA, foi evidenciado que pacientes psiquiátricos com problemas de humor possuem uma prevalência de 32% de PRAD. Já em pacientes com Transtorno Bipolar (TB), os dados são bem mais impressionantes, 56% desses pacientes fazem uso abusivo de álcool e outras drogas.

Por que a depressão pode piorar o uso de álcool e outras drogas?

A depressão e os outros transtornos de humor estão ligados a motivação para que os portadores dessa condição façam o uso de álcool/drogas no intuito de aliviar seus sintomas (Teoria da Automedicação), mas não podemos ver todos os casos dessa forma, pois existem estudos que mostram a relação do uso de cocaína em momentos de extrema euforia vivenciados por portadores de Transtorno Bipolar.

Os usos dessas substâncias podem inicialmente diminuir ou regular os sintomas, mas a médio e longo prazo o uso crônico e a abstinência dessas drogas aumentam os sintomas vivenciados por pessoas com depressão.

Essa relação se encontra embasada nos estudos de Griesler e Mel-Chen e Col. (Comorbidity of Psychiatric Disorders and Nicotine Dependence Among Adolescents), onde afirmam que o início precoce de qualquer transtorno psiquiátrico aumenta as chances do uso posterior de drogas.

 

Conclusão

Sabemos que a depressão pode levar ao uso abusivo de drogas, e que também o contrário é verdade, o uso de drogas pode ocasionar ao indivíduo problemas mentais, tais como a depressão.

Por isso é importante analisarmos em que condição podemos nos encontrar, muitas vezes essa distinção não se encontra de forma clara. Veja o seguinte exemplo: – “um amigo chega para conversar e relata que vem fazendo o uso crônico de álcool, cocaína, maconha, ou outras drogas por conta de que a mulher o deixou. À primeira vista podemos pensar que o quadro de abuso foi causado por conta de um momento difícil que ele passou, porém, ao conversarmos com familiares do seu amigo, eles relataram que a mulher o deixou por conta de não aguentar mais seus episódios frequentes de embriaguez, esse que causavam momentos de violência e abandono de responsabilidades no trabalho”.

Dessa forma é importante sempre estarmos nos avaliando, procurando ter controle emocional e identificando fatores que podem vir a nos prejudicar. Se notar que o uso de álcool e/ou outras drogas está modificando seu convívio com familiares, ou que seu convívio familiar está fazendo com que você faça uso de drogas, não hesite, procure ajuda médica e especializada, existe tratamento para essas condições e você pode evitar consequências indesejáveis.

Referência Bibliográficas

CARDOSO, Luciana Roberta Donola. Sintomas de ansiedade, depressão, nível de estresse, uso de álcool e outras drogas e repertório de habilidades sociais como fatores relacionados ao comportamento sexual de risco em pessoas infectadas pelo HIV em tratamento na cidade de São Paulo. 2014. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina.

SAIDE, Osvaldo Luiz. Depressão e uso de drogas. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, v. 10, n. 2, 2011.

MARQUES, Ana Cecília Petta Roselli; CRUZ, Marcelo S. O adolescente e o uso de drogas. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 22, p. 32-36, 2000.