Ele já estava no Brasil há um mês… e daí?

Estranho ou não, o Ministério da Saúde informou dia 02 de Abril que o primeiro caso do novo Coronavírus se deu em 23 de Janeiro de 2020. Eles conseguiram chegar a esse dado analisando de forma retrospectiva as pessoas que tiveram síndrome respiratória aguda.
Três questões podemos refletir sobre esse dado:
Primeiro, do dia 23 de Janeiro ao dia 26 de Fevereiro não houve superlotação e tampouco mortes excessivas no período, pelo menos não foi observado ou comentado pelas mídias. Se o Vírus já encontrava-se no Brasil há 1 mês do que o noticiado, algum fator protetor o auxiliou a não tomar proporções gigantes. Pelo cenário, teoricamente éramos para estarmos com as UTI superlotadas nesse momento, e não estamos.
Por que considero que era para estar no pico? Porque as autoridades informam que o pico poderá ser no fim de abril e início de Maio, considerando que o vírus tenha chegado em 26 de Fevereiro. Mas o vírus chegou um mês antes. O pico teoricamente anteciparia? Não sou infectologista para afirmar isso.
A segunda questão é sobre o Carnaval. Não sabíamos da existência do vírus no Brasil durante o Carnaval, até dia 25. Mas sabíamos que o vírus estava na China e tinha proporções para atingir o mundo inteiro, visto que outros países já tinham casos. Por que foi mantido o Carnaval e aglomeração?
Em BH, tivemos uma chuva torrencial, com muitos falecidos em toda Minas Gerais e vários desabrigados, mas o prefeito de Belo Horizonte insistiu no Carnaval. Assim como outros prefeitos do Brasil. Houve negligência por parte de tais autoridades? Por quê foi mantido o Carnaval? Muitos prefeitos e autoridades fazem um belo discurso de salvar vidas. O que está por trás desse discurso? Vamos prestar atenção nas ações dos nossos governantes, e menos na fala.
A terceira questão que coloco para refletir é qual o impacto da mídia negativa nesse processo?
Nesse último mês, devido a propagação de notícias ruins, muito pânico e medo foi levado as pessoas. Isso é benéfico para a população? Será que o medo, o estresse, a ansiedade não seriam prejudicial à população?
Qual a responsabilidade da mídia negativa nesse momento?
São apenas questões a serem refletidas.