Estou com medo, posso?

sobre politica

Relutei, mas resolvi fazer esse textão para falar um pouquinho sobre……. #política!

Estou com medo, posso?

Medo ou vergonha? Ou seria os dois?

Um homem ou mulher pode ter direito de ter medo nesse país?

Ou seria vergonha demais assumir que tem medo?

Não estou falando do medo de eleger PT ou Bolsonaro,

Estou falando do medo sobre o que um familiar, amigo, cliente ou paciente vai falar sobre sua opinião política.

O fato é que nessas eleições está acontecendo o seguinte:

Se eu voto no pt, eu promovo a corrupção;
Se eu voto no Bolsonaro, eu sou contra gays, mulheres e negros;
Se eu voto no pt, eu quero que o país fique igual a venezuela;
Se eu voto no Bolsonaro, eu sou a favor em matar as minorias;
Se eu voto no pt, eu tenho ódio no peito;
Se eu voto no Bolsonaro, estou desrespeitando um filho ou um irmão;
Se eu voto no pt, eu sou desonesto;
Se eu voto no Bolsonaro, as mulheres tem que ser estupradas;
Se eu voto no pt, eu sou a favor da impunidade;
Se eu voto no Bolsonaro, eu sou a favor das desigualdades sociais;
Se eu voto no pt, eu não apenas sou a favor da corrupção, mas também sou corrupto;
Se eu voto no Bolsonaro, eu não sou ser humano;
Se eu voto no pt, eu sou a favor da ditadura camuflada;
Se eu voto no Bolsonaro, eu sou a favor da ditadura explícita;

Uauuuu…

Esses são os argumentos que são jogados na cara dos eleitores de cada candidato, nas redes sociais e no dia a dia.

Será isso tudo verdade? Será que somos todos assim?

Eu, sinceramente, não acredito que somos todos assim.

Ou são artifícios utilizados para criar embate, discussão, acaloramento, e vaidades?

Quantas mães, pais, irmãos ou filhos estão com MEDO de falar sua opinião política?

Sim! Muitos tem medo.

Medo por que?

Porque os que dizem que é contra a ditadura, oprime os demais e não aceita opinião diversa. Ou seja: eleitores de ambos os lados com agressões explícitas aos eleitores adversários, alguns mais, outros menos.

Uma mãe ou um pai não pode discutir política, pois o filho ou filha diz que está sendo desrespeitado visto que é homossexual.

Um marido e mulher podem chegar a ficar semanas, meses ou anos sem conversar harmonicamente.

Um paciente deixa de ir ao consultório médico, psicológico ou odontológico, devido a discordância de opinião política.

Um cliente deixa de frequentar e comprar em uma loja devido opinião política.

O que estamos vivendo?

Seria isso uma censura camuflada?

Lares e famílias estão sendo destruídas por opiniões políticas!

Independente de quem ganhar essa eleição, por onde andarmos, iremos observar que independente do lado que você se encontra, nós sairemos dessa eleição como derrotados na cidadania e no respeito ao próximo.

Nós sairemos mais tristes, pois foi criado um constrangimento com o colega do lado.

E assim como muitas mães, pais, irmãos, filhos eu também tive medo.

Eu tive medo de externar meu voto para o segundo turno.

Seria um covarde se não o fizesse?

Ou seria todos esses adjetivos descritos acima?

E diante de tudo que se passa no país, diante da minha vontade em poder auxiliar de alguma maneira pessoas mais vulneráveis,

Diante de tudo que eu ouço nos consultórios e tudo que eu observo no cotidiano,

Diante das leituras que venho fazendo sobre o histórico das eleições passadas e do Brasil atual,

Eu penso o seguinte:

Não quero e não pretendo criar pequenos termos para simplificar o complexo, pois é verdadeiramente difícil tornar simples um sistema tão complexo.

Na política e no marketing muito se utiliza desses artifícios.

Às vezes se torna necessária a simplificação de propostas ou termos, visto a dificuldade de atrair eleitores, da vida corrida que temos, a desigualdade social e os milhões de brasileiros que infelizmente não sabem ler, tampouco escrever. Então cria-se bordões, mais simples de se entender, e com interpretações múltiplas, com o interesse de angariar votos falando de si próprio ou difamando o colega.

Não tenhamos memórias curtas e vamos lembrar como eram tratados os eleitores do Aécio e da Dilma em 2014. Muitos dizem que essa foi a eleição mais suja da história em termos difamatórios. Não estamos “apenas” repetindo o que aconteceu em 2014, mudando os nomes e um partido político?

Muitos de nós não lembramos, pois trata-se de memórias de 4 anos atrás.

Na época eram “coxinhas” e “mortadelas”, não é mesmo? Ou por que não lembrar do pózinho?

Após muito relutar, após desafiar o medo interior e principalmente avaliar a importância de tomar uma decisão fundamental entre escolher entre um ou outro, e não anular meu voto. Não há a opção de ser neutro em uma disputa que só tem duas saídas.

Resolvi então falar um pouquinho sobre o motivo do meu voto para presidente no segundo turno:

Não foram 1,4,8,12, mas foram 14 anos de governo PT (8 anos de LULA + 6 anos de Dilma), além de 2 anos de TEMER (chapa da Dilma),

e mais 8 anos de Governo do PSDB anteriores ao governo PT.

Hoje já são 24 anos de Governo PT-PSDB-PMDB.

Nesses 24 anos eu vi muitas coisas boas, muitas pessoas boas, muitos hospitais foram criados, estradas foram feitas, bairros foram asfaltados, pobres ficaram ricos e ricos ficaram pobres, faculdades sendo feitas.

Mas eu também vi muita coisa ruim que poderia ter sido melhorada. Eu vi que 50% das pessoas ainda não possuem saneamento básico em sua residência. Eu vi que a desigualdade social continua elevadíssima e o número de pessoas muito pobres permanece muito alto. Eu vi o ensino básico caindo aos pedaços e muitas crianças saindo da escola sem saber ler e escrever, assim como vi a insegurança e os homicídios aumentarem de forma importante. Eu vi moradores de rua serem assassinados, eu vi desrespeito com homossexuais e com negros. Eu vi mulheres sendo agredidas. Eu vi o desrespeito crescente com os professores de ensino básico. Tudo isso eu vi e continuo vendo.

Quem lê esse post faz parte da minoria que possui acesso fácil a internet e pelo menos sabe ler.

Pois grande parte da população não possui acesso fácil a internet e muitos não sabem ler. Para esses é mais fácil criar bordões simplistas para persuadir. Para aqueles é importante aprofundar melhor nas propostas e avaliar item a item.

Eu tento ao máximo tratar com respeito as diferenças, e procuro sempre entender o outro.

Não sou a favor da violência e da ditadura.

Sou a favor do respeito ao ser humano, independente do sexo, opção sexual, religião, etnia ou classe social.

Acredito que precisamos de lutar para o interesse coletivo como humanos, como cidadãos brasileiros.

Enquanto sociedade, devemos respeitar e tentar ajudar o outro que está do seu lado.

Sou a favor das pessoas mais vulneráveis procurarem seus direitos e lutarem pelos seus ideais, sem desrespeitar o outro. Assim como sou a favor de buscarmos entender as diferenças dos mais vulneráveis e poder proporcionar algo melhor para que fique menos vulnerável.

Há quase 10 anos atrás o deputado Bolsonaro falou algumas coisas consideradas asneiras em rede de televisão, principalmente se não visualizarmos toda a entrevista dele e não entendermos todo o contexto da ocasião. Torna-se assim necessária visualizar toda a entrevista dele e contexto, assim como visualizar, sem edição, as entrevistas que ele promove, para que nossa opinião seja formulada diretamente da fonte.

Ele tem como proposta uma série de questões que acho relevantes, como:

1) Diminuir essa questão de luta de classes, pois somos todos seres humanos e iguais. Triste criar polarização, se na verdade somos seres pensantes únicos. Isso é tão verdade, que independente de sua classe social ou econômica, quantas divergências de opiniões há dentro de um mesmo lar. Um mesmo lar, seja pobre ou rico, vota em A ou B. Por que vamos dizer de luta de classe dentro da mesma casa?

2) Ele diz que vai respeitar a constituição, e o candidato do PT pretende convocar uma constituinte (o próprio plano de governo do PT cita isso). Tenho medo do que virá com uma nova constituição vindo da velha política. Ao convocar uma nova constituição tudo pode ser feito. Veja o que foi feito em governos apoiados pelo PT, como a Venezuela, virou uma ditadura com milhões de pessoas fugindo para países vizinhos. Isso me lembra muito Alemanha Nazista, porém na Alemanha eles matavam de forma indiscriminada e impiedosamente, e por isso vimos tantos judeus fugindo do país. Na Venezuela também ocorrem muitas mortes, muitas fugas, e a fome está escancarada na face de muitos venezuelanos. A fome faz matar, e muito. Mas mata aos poucos, sem uma causa visível e aparente como aconteceu na Alemanha. Lembrando que a Venezuela não mata apenas por fome, mata por divergência de opinião, assim como na Alemanha. Talvez a diferença entre as mortes de Venezuela e Alemanha é que as mortes por divergência de opinião no país sul americano são bem menores que as mortes provocadas pela miséria e pela fome.

3) Bolsonaro acha que o Sindicato deve ser pago voluntariamente. Se o trabalhador quer pagar o imposto, ele pode pagar, mas não o obrigue. O candidato do PT deseja obrigar os trabalhadores a pagar mais esse imposto, mesmo que não concorde.

4) Bolsonaro propõe uma interrupção dos elogios as ditaduras socialistas.

5) Bolsonaro propõe redução da Maioridade Penal para 16 anos, visto que esses jovens podem ser pais, votar, trabalhar, mas não pode ser preso. Esses jovens de 16 são aproveitados por outros maiores de idade para praticar crimes. Deve-se criar medidas contra isso.

6) Bolsonaro afirma que a justiça e o direito devem seguir seu rumo sem interferência política. Ou seja, a lava jato e outros movimentos da justiça devem permanecer e serem apoiados. Enquanto o PT deseja reduzir o poder do Ministério Público.

7) Bolsonaro propõe redução de impostos e o candidato do PT propõe aumentar impostos. Entendo a redução de impostos como algo que promove a economia para os pequenos empresários e para os trabalhadores comuns, que tem uma altíssima carga tributária. Se reduz impostos, o empresário paga menos para o governo, e com isso tem mais dinheiro para fazer compras na padaria, supermercado, lojas, drogarias, serviços em geral, contratar mais funcionários e isso faz girar mais a economia local. O trabalhador, se não elevar a inflação, compra mais e tem mais produtos, pois o imposto é menor. Isso não significa necessariamente menos dinheiro para o estado, visto que quanto mais compras de produtos ou serviços se faz, mais impostos vai para o estado, mesmo que tenha uma taxa menor. E assim o estado não sai prejudicado e continua arrecadando para pagar suas obrigações com os funcionários, dúvida pública, previdência, investimentos em saúde, educação, segurança, tecnologia.

8) Bolsonaro propõe redução de ministérios e perfil técnico, evitando ao máximo indicações políticas para cargos fundamentais. Ele já se posicionou que alguns cargos são necessários pessoas de confiança, como Ministro da Casa Civil.

9) Sobre as questões homofóbicas, racismo e ditadura no discurso atual dele não vejo nada disso. Pelo contrário, ele propõe união das pessoas. É verdade que discursos antigos dele dizia coisas que poderiam ser consideradas bizarras, principalmente se não entendermos o contexto, mas como disse: acho que foi estratégia de marketing para crescer, assim como várias estratégias utilizadas por vários outros candidatos como o Lula.
Importante dizer que ele propõe tolerância zero com o crime. Ele diz que a constituição será o instrumento para assegurar os direitos de todos! Diz que: “Ninguém será perseguido, todos terão seus direitos preservados”

10) Bolsonaro é a favor de não dar dinheiro público para manifestações da comunidade LGBT, assim como para qualquer outro movimento social. Ele não é contra o movimento, mas se for fazer, faça com dinheiro próprio. Isso não é ser contra a comunidade, isso é ter respeito ao seu, ao nosso dinheiro que pagamos com os impostos. Se você é a favor de dar dinheiro para essas manifestações, que você doe livremente, pois os impostos que pagamos devem ser realocados para melhoria da saúde, da educação básica, da infraestrutura, do saneamento básico que afeta a todos os seres humanos, indistintamente.

11) Sobre o bolsa família, Bolsonaro é contra acabar com esse auxílio. Porém é a favor de fazer um controle e uma limpeza. Segundo ele, foi feita uma pesquisa em uma cidade do Sul do país e foi observado que: um terço das pessoas recebem o bolsa família sem necessidade, um terço das pessoas recebem porém conseguem retornar ao trabalho obtendo outros tipos de incentivos, e um terço realmente precisava devido a condição de pobreza. Para esses últimos um terço ele acha fundamental manter. Veja: Ele não disse que irá reduzir em um terço o bolsa família, pois facilmente pode ser criado um bordão para isso também. Ele disse que o bolsa família deve ser para quem realmente precisa e tem de fato necessidades. E quanto mais pessoas tem bolsa família, mais demonstra o quanto o país ainda não melhorou o nível de pobreza. Pois o ideal seria ninguém necessitar. Assim saberíamos que a pobreza de fato estaria reduzindo.

12) Sobre a educação básica, Bolsonaro pretende acabar com essa lástima que é a aprovação automática nas escolas básicas. Ele não quer que aluno que não sabe ler se forme na 8ª série por exemplo. Sobre esse assunto específico fiz um texto sobre o assassinato da educação brasileira, pode ver o link aqui.

Sou contra qualquer tipo de racismo, discriminação ou violência. Se ele for eleito e ocorrer abusos contra classes específicas, serei contra essa posição dele. Mas vale lembrar que esse mesmo deputado, durante todo os anos como deputado, não fez nenhuma lei que propunha o racismo ou a homofobia. Em uma das propostas ele diz que terá tolerância ZERO contra o CRIME. Ora, veja o que diz o “artigo 147 do Código Penal Brasileiro: Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave: Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.” Sendo assim, vejo que ele não propõe em nenhum momento alguma ameaça a ninguém, e sim o contrário, ele deseja evitar ameaças e qualquer tipo de crime, independente de classe social, sexo, etnia, opção sexual.

Não sou contra a comunidade LGBT, não sou contra negros, não sou contra mulheres, não sou contra as pessoas da esquerda. Aliás fiquei feliz pela eleição da Áurea Carolina, da Janaína Paschoal, do Helio Negão (conhecido atualmente como Hélio Bolsonaro). A Áurea é de esquerda, o Hélio é negro e a Janaína é uma mulher corajosa. O legislativo nada mais é que a representação da sociedade. E por isso é importante ter divergências de opiniões, pois só assim estamos de fato representado essa sociedade multicultural que é o Brasil.

Quando um eleitor agride o outro por opinião política não acho que devemos culpar o candidato, e sim o cidadão que o fez. Acho que todo e qualquer tipo de agressão deve ser punida, independente de qual partido político. Vimos que infelizmente isso acontece não apenas com eleitores do Bolsonoro ou do PT, mas de ambos. Muitos eleitores agridem os outros, chegou a inclusive matar um eleitor contrário. Isso não é o eleitor, isso é o cidadão que não tem respeito pelo ser humano, e por isso deve ser punido. Esse mesmo deputado sofreu violência (cuspes, facada) e não revidou. É muito simplista dizer que um cidadão agride o outro devido as idéias de um candidato. Quem é réu é o cidadão e não o candidato.

A política é “apenas” um item de nossas vidas, diante de tantos outros que diariamente estamos expostos como: relação afetiva entre casais, relação entre pais e filhos, relação entre patrões e funcionários, amizade na faculdade e no trabalho, saúde, cidadania, solidariedade, respeito, profissionalismo, honestidade, amor, dentre tantos outros.

O Político, assim como nós, é um ser humano, que tem ideias sobre variados temas. É difícil concordar com tudo que um político faz, afinal não concordamos com tudo que nosso filho, pai ou mãe faz dentro de nossas casas. Como concordar com tudo de um político?

O importante é buscar prováveis vantagens e desvantagens, e assim colocar na balança para fazer o seu voto.

Apesar de exercer um papel fundamental na sociedade, não vamos fazer da política um instrumento para geração de ódio e desrespeito com nossos colegas seres humanos.

E assim eu termino esse meu texto, dizendo que meu voto será para o Jair Bolsonaro.

E se você vota no PT, eu vou continuar te tratando com respeito;
E se você vota no PT, você não é corrupto do meu ponto de vista;
E se você vota no PT, você está exercendo o seu direito de voto e eu devo respeitar;
E se você vota no PT, você não é a favor da ditadura camuflada;
E se você vota no PT, você não é a favor da impunidade;
E se você vota no PT, você continua honesto do meu ponto de vista.

Você é um cidadão que merece respeito, consideração e tem suas ideias e crenças políticas.

Mais do que isso, você é um pai, um filho, uma mãe que tem toda uma história de vida que merece atenção e carinho.

E se mesmo depois de toda a explicação, se ainda continuar achando o contrário, tudo bem.

Eu respeito sua opinião.

Diego Tinoco.