Eu aprendi que a vida é assim….

a vida

Esse foi meu último mês em um emprego em Vespasiano. 
Por mais difícil que seja, 
decidi sair para me dedicar um pouco mais aos estudos.

Desde antes de me formar como médico, já trabalhava como estagiário pela prefeitura fazendo visitas domiciliares a pacientes idosos acamados.

Nesses mais de 8 anos, como estudante e profissional, tive o prazer de conhecer muitas casas, muitas famílias, muitos idosos e muitos amores. Mas também obtive aprendizados valiosos sobre a vida sofrida de muitos senhores e senhoras.

Quantas histórias eu ouvi pelos idosos que atendi.
Quantas cenas eu vi.
Quantos aprendizados eu colhi.

Meu trabalho consistia em fazer visitas domiciliares a pacientes exclusivamente idosos acamados ou com alguma dificuldade importante para se locomover até o Posto de Saúde próximo.

Pedia licença para entrar na casa do idoso e vê-lo acamado.
Eu tentava seguir um princípio fundamental da Medicina e da Geriatria que aprendi com o grande professor Carlos Junqueira: “Primum non nocere – Primeiro, não prejudicar”.

Esse princípio não vale apenas para a Medicina, mas para a vida. E infelizmente damos pouco valor a um princípio tão nobre e fundamental na vida de um ser humano.

Na vida temos dúvidas para qual lado ir, nos momentos de dúvida, lembre-se desse princípio.
Na vida queremos muitas vezes alcançar antecipadamente o que desejamos, lembre-se desse princípio.
Na vida costumamos pensar nos prazeres momentâneos, grave esse princípio.

Podemos errar, ou prejudicar algo ou alguém, mas pense nesse princípio antes de tomar uma atitude, pelo menos assim, prejudicaremos menos.

Sou um privilegiado de ter conhecido esse município brasileiro da grande BH, de ter aprendido com tantos Vespasianenses. 

Vespasiano e seus moradores muito me ensinaram, ou pelo menos, me fez relembrar semanalmente muitos dos conhecimentos e aprendizados que aprendi na infância:

Eu aprendi o quão belo é a vida do jeito que ela está. Muita calma antes de reclamarmos de questões simples do nosso dia a dia.
Eu aprendi que ser humano tem forças inacreditáveis e são capazes de suportar dores e sofrimentos gigantes.
Eu aprendi que escutar é um doce e maravilhoso remédio.
Eu aprendi que julgamentos antecipados devem ser evitados ao máximo.
Eu aprendi que o respeito ao ser humano diante das suas adversidades e diferenças são fundamentais.
Eu aprendi que todos os dias, todas as horas, todos os momentos, estamos diante de pessoas, e essa outra pessoa pode viver uma situação bem diferente da sua. 
Eu aprendi que muitas vezes não cabe a mim concordar ou não com determinadas atitudes, e sim avaliar o bem estar ou não, que determinada atitude proporcionou ao idoso.

De tantas outras coisas que eu aprendi,
Eu aprendi que a vida é assim…. 

Nascemos, vivemos, morremos.

Para nascer e morrer não depende de nós.
Mas para viver com carinho e respeito,
Isso sim depende de nós.

Obrigado amigos do SAD de Vespasiano e Amigos do Programa do Idoso: Andreia Ferreira, Sr. Raimundo Martins e Dr. Carlos Junqueira. E todos os amigos da faculdade que participaram do Projeto Senescer, que muito me orgulha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *