A Obesidade no Brasil

obesidade e gordura

Conheça os motivos para o aumento da obesidade no País

 

Até pouco tempo atrás –  e ainda hoje em regiões mais afastadas dos grandes centros – o Brasil era um País que traçava uma batalha intensa contra a fome. Porém, mesmo que a condição social de muitos ainda não seja adequada, os números de pessoas acima do peso surpreendem os especialistas e fazem com que a obesidade seja um distúrbio dos mais recorrentes entre os brasileiros.

 

Segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), a cada cinco brasileiros um é obeso e mais da metade da população está acima do peso. Nos últimos 10 anos, a prevalência da obesidade no País aumentou em 60%, passando de 11,8% em 2006, para 18,9% em 2016. O excesso de peso também subiu de 42,6% para 53,8% dentro do mesmo período.

 

Mudanças de hábitos

 

Com a industrialização da maioria das cidades do País e com a vida agitada levada pela maior parte da população, a pressa e o pouco tempo para comer fazem com que muitas pessoas acabem optando por pratos rápidos, ou por fast foods, comprometendo a qualidade de suas alimentações. Um exemplo disso é que o consumo do feijão, alimento básico na dieta do brasileiro, diminuiu de 67,5% em 2012 para 61,3% em 2016.

 

Aumento do poder aquisitivo

 

Segundo um estudo realizado pelo instituto Data Popular, entre 2005 e 2015, a renda da classe média, que representa 56% da população, cresceu 71% no período. Com isso, alguns produtos que antes eram acessíveis apenas para a classe econômica mais favorecida, hoje podem ser consumidas pela Classe C. Além disso, com a inserção de cada vez mais pessoas no mercado de trabalho, os hábitos alimentares ficaram menos saudáveis.

 

De acordo com a pesquisa da Vigitel, o aumento da obesidade no Brasil corresponde, principalmente, a duas faixas etárias: 18 aos 24 anos (30,3%) e 25 aos 44 anos (50, 3%). 

Outros fatores

A genética é outro fator que deve ser considerado quando o assunto é obesidade. Além do fato de algumas pessoas terem mais tendência a engordar do que outras, as gerações anteriores não estavam acostumadas a fartura e passaram para a atual a característica de retenção de gordura. Além disso, também existe o aspecto cultural presente no tradicional “discurso das avós”, que diz que o neto está magro porque está doente ou que está bonito quando está “gordo”.

Outro aspecto que está diretamente ligado às mudanças de hábitos da sociedade é a baixa qualidade de sono. Por conta da rotina agitada, muitas pessoas dormem pouco e mal, o que contribui para o aumento da obesidade.