Preocupações dos Chineses com a Saúde Mental na Pandemia do COVID-19

Uma carta de pesquisadores chineses publicada hoje (01/04/2020) pela revista científica The Lancet, mundialmente conhecida pelo seu prestígio e autoridade, informou a preocupação com algumas populações da sociedade, visto que o mundo inteiro está focado nos pacientes infectados e nos profissionais de linha de frente ao tratamento do COVID-19.

Os autores expressam preocupação durante essa epidemia com os pacientes que apresentam distúrbios relacionados à saúde mental. Eles ressaltam que a ignorância pelo não olhar a esses pacientes, pois poderá prejudicar não apenas em conquistar o objetivo de impedir a disseminação do COVID-19, mas aumentar as desigualdades de saúde já existente. 

Eles ressaltam que ao surgir epidemias, as pessoas com distúrbios de saúde mental grave geralmente são mais suscetíveis a infecções por vários motivos, entre eles, aumentam o risco de infecções, como a Pneumonia (Seminog OO e Goldacre MJ, 2012)

Outra questão abordada é a dificuldade dos pacientes com transtorno mental grave terem pouca consciência do risco e por consequência, apresentar esforços reduzidos em relação a proteção pessoal. Isso quando não há um comprometimento cognitivo, que também pode dificultar os cuidados durante a pandemia.

Um outro item abordado foi as dificuldades de acesso aos serviços de saúde que tais pacientes podem apresentar, devido à discriminação associada a problemas de saúde mental, que infelizmente ainda existe. Muitas vezes tais pacientes podem apresentar dificuldade nos atendimentos em UPA, Hospital ou pronto socorro devido a condição em que se encontra. 

Além disso, a pandemia do COVID-19 causou uma outra epidemia paralela de pânico, medo e muitos sintomas de ansiedade e tristeza. Refere que pessoas com condições de saúde mental mais debilitadas poderiam ser mais influenciadas pelas respostas emocionais provocado pelo Coronavírus, resultando em recaídas ou agravamento de uma condição de saúde mental já existente.

Os autores do texto também mostraram-se preocupados quanto à restrição de manutenção das consultas regulares que tais pacientes faziam, o que pode ser prejudicial para o descontrole e agudização do quadro. 

Eles foram enfáticos ao pedir atenção adequada e necessária às pessoas com transtornos de saúde mental na Pandemia do COVID-19. 

Não é apenas por esse artigo publicado nessa revista, pois muitos de nós, profissionais da saúde mental, sabemos a importância do acompanhamento de tais pacientes e de outros, que porventura, podem ser acometidos por algum transtorno psíquico durante essa pandemia. 

Como mineiro que sou, reforço o pedido ao Governador Romeu Zema, aos deputados estaduais e federais, e à toda comunidade, que não apenas evite o fechamento do Hospital Galba Veloso, mas intensifique e melhore os trabalhos relacionados à saúde Mental do Estado de Minas Gerais.

Infelizmente, o Governo de Minas Gerais deseja fechar um hospital psiquiátrico de tamanha importância para os mineiros, para inserir leitos para pacientes do COVID-19. 

Em hipótese alguma queremos desvalorizar o COVID-19, pelo contrário, sabemos da importância de salvar vidas, e exatamente por isso, por não haver distinção entre ninguém, é fundamental respeitar as diferenças e não fechar nenhum hospital. O governo tem diversos imóveis que podem ser utilizados para leitos, e não precisa de fechar uma unidade hospitalar de outra especialidade para isso.

Aguardamos uma posição do Sr. Governador e autoridades.

Diego Tinoco Rodrigues

Referências: Hao Yao, Jian-Hua Chen, Yi-Feng Xu. The Lancet. Pacientes with mental health disorders in the COVID-10 epidemic. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/lanpsy/article/PIIS2215-0366(20)30090-0/fulltext. Acesso em 01/04/2020

Seminog OO, Goldacre MJ. Risk of pneumonia and pneumococcal disease in people with severe mental illness: English record linkage studies. Thorax. 2013; 68171-176. Disponível em: https://thorax.bmj.com/content/68/2/171. Acesso em 01/04/2020.