Verde e Amarelo é a cor dessa nação

Hoje o presidente e governadores eleitos foram empossados nos respectivos cargos.

O que se viu por grande parte dessa nação foi um Brasil de cores verdes e amarelas.

Não foi um partido de uma cor, não foi a ideologia, não foi uma dicotomia.

Nos mais variados estados e no governo federal, o que houve, por muitos brasileiros, foi esperança.

Esperança que o Brasil pode sim, de fato, fazer a diferença para nós, brasileiros.

Pude presenciar pessoalmente o discurso do Governador de Minas Gerais, Romeu Zema.

No seu discurso me chamou a atenção três pontos: a primeira delas Zema diz sobre a importância

de parar de criticar o passado, pois já se sabe a catástrofe que ocorreu e não se pode agora lamentar

pelos erros do passado. Afirmou que trabalhar duro para melhorar as condições de Minas Gerais é o seu principal objetivo, em vez de lamentar os problemas do passado. Nessa fala Zema demonstra o quão líder e protagonista pode ser nessa transformação do Estado. Bons gestores não reclama dos problemas, mas consegue solução para elas. E são nas maiores dificuldades diante de tais problemas, que as maiores oportunidades virão. Lembro-me bem da última gestão do Fernando Pimentel, em que seu primeiro ano de governo foi fazendo críticas ao governo anterior, gastando rios de publicidade criticando a gestão anterior.

O segundo ponto que me chamou a atenção: Zema comparou a situação do Estado com a saúde.

Disse que nesse início medidas amargas serão tomadas, para um bem melhor no futuro. E assim é necessário muitas vezes na nossa saúde ao tomar um remédio amargo. É necessário se cuidar, tomar um remédio, mesmo que seja ruim, para evitar piores danos no futuro.

Foi assim que ele foi eleito, e pelo seu discurso de posse, será assim que ele irá governar.

A minha torcida é que ele mantenha-se focado no trabalho e coloque em prática o que tem dito. Infelizmente um remédio amargo pode ser a melhor opção.

A simplicidade, a força de vontade e austeridade demonstrada por Zema e toda sua equipe demonstra o quão importante Mineiro e valente ele é.

Zema contou a história no inicio da campanha: tinha cidades em que ele chegava para discutir com os mineiros, e apenas 2 pessoas estavam esperando por ele.

Mesmo assim, ele persistiu, acreditou e conseguiu, pois a vontade de melhorar o Estado era maior.

Não foi diferente ao vermos a emoção dos envolvidos e do público, diante da posse do Presidente Jair Messias Bolsonaro.

Primeiro não podemos esquecer que o Presidente está com uma bolsa de colostomia em seu abdômen, o que possa não transparecer, mas a fortaleza e coragem do nosso presidente são bem maiores do que qualquer dor ou dificuldade.

Não tenho palavras para descrever  a Primeira Dama ao fazer um discurso de agradecimento em Libras.

A inclusão era um nome tão falado nas diversas campanhas eleitorais diversas, mas na prática não era levada tão a sério e pouco se inspirava.

Mas a nossa primeira dama fez mais.

Fez mais que um simples gesto, ela mostrou conhecimento, ela difundiu a importância da língua, ela incentivou homens e mulheres.

Não foi apenas um discurso bonito.

Foi um discurso de uma grande líder de uma nação.

Uma mulher que motivou, inspirou e deu força a muitas e muitas pessoas!

A simplicidade do discurso, com a prática evidenciada por ela, reduz qualquer adversário que queira menosprezar uma atitude tão grandiosa quanto essa.

A Bandeira do Brasil é Verde e Amarela!

O orgulho de uma nação está voltando para muitos!

Esperamos que esse orgulho e que esse acreditar não se retroceda, e não provoque o mesmo sentimento de frustração que outros causaram.

Está na hora de pararmos de dividir o país.

Vamos elogiar mais, construir relacionamentos duradouros e não sermos convictos de uma verdade única e absoluta.

O primeiro dia de Janeiro de 2019 marcou história em Minas Gerais e no Brasil.

Esperamos que dia 31 de Dezembro de 2022 possamos analisar o nosso Brasil, e vermos um país, de fato, mais feliz, menos pobre e com mais humildade!

Mais empatia no coração!