Viagens a negócios

Há um tempo atrás pensava que viajar a negócios pelo Brasil e pelo mundo seria o meu grande sonho.

Assim como eu, algumas outras pessoas com quem dialogava também pensava o mesmo.

Algumas ainda pensam, e não só pensam, mas acham muito bom e glamouroso, se é que posso utilizar esse termo.

Nada contra esse tipo de sonho de alguns, e esse tipo de vida de outros.

Talvez algum dia, quem sabe, serei eu viajando por aí…

Mas ultimamente comecei a perceber o quão solitário pode ser essa vida para alguns.

Por um lado tem o conhecimento do mundo, os belos aeroportos pelo Brasil e pelo planeta.

Mas por outro, existe a solidão dos hotéis.

A solidão de pegar a mala no desembarque sozinho e sem alguém para conversar.

A solidão de pegar um uber sem alguém para conversar ao aguardar o carro.

A solidão em chegar ao hotel, deitar na cama, sem ninguém para desabafar ao lado.

Essa vida não é tão glamourosa como imaginam.

Não podemos julgar o glamour e a vida alheia sem antes pensar nos poréns do outro lado.

Não é uma crítica, apenas uma reflexão do cotidiano.