O que é depressão?

o que e depressão

Você sabe o que é depressão?

A Depressão é uma doença crônica generalizada que pode comprometer os pensamentos, o humor e a saúde física da pessoa.

Consequentemente, é caracterizada por falta de energia, tristeza persistente, falta de prazer nas atividades da vida, alteração  do sono, falta de concentração ou memória ruim e uma série de outros sintomas.

Devemos tomar cuidado para não acreditar que toda tristeza é depressão.

Por exemplo, as pessoas podem ficar tristes no dia a dia, sem apresentar uma tristeza persistente e diária, porque não vivemos 100% felizes.

A tristeza é transitória, passageira, e pode decorrer de uma série de situações do dia a dia. Podemos ficar tristes por uma nota ruim na prova, por um discussão com amigo ou amiga, ou o dia pode ficar um pouco mais triste após uma noite de sono mal dormida, por exemplo.

E essa situação não é considerada uma depressão.

A Depressão é FRESCURA?

A depressão não é frescura. Além disso, ela também não é preguiça ou manha.

Infelizmente, muitos amigos ou familiares costumam rotular as pessoas com sintomas depressivos de pessoas preguiçosas, dizendo que é frescura.

Além disso, muitas pessoas que estão deitadas, caladas, sem ânimo para sair ou fazer suas atividades habituais são chamadas corriqueiramente de manhosas ou frescas.

NÃO é correto e tampouco benéfico para o tratamento considerar que tais sintomas sejam em decorrência de uma falha de caráter do ser humano.

Para esclarecer, a maioria das pessoas com sintomas depressivos desejam melhorar, querem ter animo para saírem de casa, fazer atividade física, conseguir trabalhar normalmente. No entanto, o transtorno depressivo dificulta a ação. Porém, isso não é por preguiça ou falta de vontade.

Em decorrência dos sintomas depressivos, muitas pessoas não conseguem estudar, divertir, trabalhar.

Gosto de comparar a depressão com qualquer outra doença, por exemplo a Pneumonia.

Se uma pessoa apresenta um quadro leve de pneumonia, geralmente ela pode ter sintomas de tosse, cansaço, desânimo, falta de apetite. E se falarmos para a pessoa interromper a tosse, ela não vai conseguir, apesar dela querer.

Por que ela não consegue?

Porque o ato de tossir é involuntário, não depende da vontade dela.

Assim também acontece com os sintomas da depressão. Apesar da vontade e do desejo de melhorar serem muito importantes para o tratamento.

Infelizmente, só a vontade de melhorar muitas vezes não é suficiente. Assim, é necessário um tratamento integral, multidisciplinar e com muito respeito.

Acima de tudo, não podemos esquecer que estamos falando de um transtorno biológico.

Criança também pode ter depressão?

Sim. O transtorno depressivo pode afetar tanto crianças, quanto idosos.

O fato da criança não ter contas a pagar (como alguns dizem por aí) não a exclui de uma quadro depressivo.

Precisamos lembrar que o quadro é biológico e pode comprometer qualquer pessoa, e em qualquer faixa etária.

Quais são as causas da Depressão?

Não existe uma causa única para a depressão. Assim, ela pode ocorrer por vários motivos diferentes.

Muitas vezes as pessoas tentam achar um motivo ou alguma justificativa para explicar os motivos pelos quais está apresentando tantos sentimentos ruins.

É comum encontrar pessoas dizendo não conseguirem explicar a causa de tanto tristeza ou desânimo, mesmo sem motivo aparente.

Infelizmente, na maioria das situações, não existe um único motivo que justifique os sentimentos de angustia ou tristeza persistente.

Para esclarecer, é importante destacar que existe uma predisposição genética para o desenvolvimento da depressão em muitas pessoas.

Ou seja, existe um importante fator familiar envolvido na causa da depressão, o que torna algumas pessoas mais predispostas ao desenvolvimento do quadro depressivo.

Cada parte do nosso corpo é gerenciado por genes, que são importantes causas do desenvolvimento da depressão. Caso uma pessoa tenha uma predisposição genética ao desenvolvimento da depressão, pode acontecer de diversas situações funcionarem como potenciais gatilhos para mudanças na ativação e desativação destes genes.

Exemplos de situações que podem ser vistas como gatilhos para sintomas depressivos:

  • Eventos da vida estressante (perda de emprego, morte de ente querido, violência, abusos, traumas intensos durante a vida)
  • Outras doenças clínicas (câncer, AVC, Infarto, doenças neurológicas degenerativas)
  • Medicamentos (cuidado ao fazer uso de medicamentos por conta própria, como por exemplo anabolizantes)
  • Uso de álcool ou drogas

Não podemos dizer que tais gatilhos significam que a pessoa irá desenvolver o transtorno depressivo.

O que acontece é que a pessoa que tem a predisposição genética apresenta maior probabilidade de ter os sintomas depressivos em decorrência dos gatilhos.

O que acontece no cérebro?

A compreensão de todas as bases bioquímicas e neurológicas relacionadas a depressão ainda é incompleta. Porém, muitos avanços já ocorreram nos últimos 30 anos.

Há o entendimento de que os níveis de substâncias químicas (neurotransmissores) na placa sináptica seja um dos responsáveis pelo desencadeamento desses sintomas. Muitas vezes o excesso ou a falta destes neurotransmissores na ativação ou desativação dos neurônios em determinadas regiões do cérebro irão contribuir para esses sintomas.

As regiões do cérebro que estão mais associados ao quadro depressivo são:

  • Amígdala
  • Tálamo
  • Hipocampo

Alguns pesquisadores acreditam que as conexões das células nervosas e o crescimento destas células podem estar mais relacionadas com o humor do que o próprio nível de neurotransmissor em determinado espaço sináptico.

Quem faz o diagnóstico?

O diagnóstico de Depressão é feito por um médico capacitado e treinado. Os médicos generalistas ou clínicos gerais costumam fazer o diagnóstico e tratamento, porém o psiquiatra é o medico especialista nesse transtorno.

Independente do médico que irá procurar para o tratamento, não deixe de informar todos os seus sintomas e queixas ao profissional.

O profissional precisa entender de forma profunda e organizada todos os seus sintomas para fazer um diagnóstico diferencial com outras doenças.

Pode ter depressão sem tristeza?

É importante ficar atento que nem todos os pacientes com quadro depressivo queixam de tristeza. Além da tristeza persistente, existem outros sintomas depressivos:

  • Falta de prazer em fazer atividades
  • Falta de energia
  • Alteração do sono (sono excessivo ou falta de sono)
  • Falta de concentração ou foco
  • Memória ruim
  • Sentimentos de Inutilidade ou incapacidade
  • Pensamentos de menos valia, vontade de sumir ou desaparecer constantemente
  • Sem esperança
  • Pensamentos de se machucar ou fazer algo contra a vida

Apresentar tais sintomas não significa que tenha depressão, porém é importante procurar ajuda médica para ajudá-lo a pesquisar e entender o que está acontecendo. Caso seja depressão, é importante o tratamento para a melhora dos sintomas.

Procure Ajuda

Conforme explicado no artigo, a depressão não é frescura. Cuidado para não se cobrar excessivamente, e querer melhorar sozinho. Nós somos seres humanos, e muitas vezes precisamos da ajuda de outras pessoas. Pedir ajuda não é vergonha alguma.

Procure um profissional de sua confiança e agende uma consulta com esse especialista o mais breve possível.

Posts relacionados

Privacy Preferences
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações por meio de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site.