A importância da saúde mental no trabalho

Em momentos de crise como o que estamos vivenciando, muito se discute sobre saúde mental no trabalho.

Além dos estudos científicos que destacam a importância de falar sobre saúde mental no ambiente profissional, as evidências sobre a relevância desse assunto surgem nas experiências de consultório, entre psiquiatras e psicólogos.

Dados apurados pelo Centro de Controle de Prevenção de Doenças dos Estados Unidos informam que as pessoas que sofrem de depressão podem perder até 35% da sua capacidade cognitiva e até 20% de seu desempenho físico.

No entanto, o estudo também revela que apenas 40% dos trabalhadores com depressão grave recebem tratamento apropriado.

Isso acontece porque as pessoas ainda têm dificuldade em detectar que algum colega de trabalho pode estar com problemas relacionados à saúde mental e oferecer ajuda.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os principais fatores para o afastamento no trabalho são transtorno de ansiedade (63%), depressão (59%); burnout (44%) e estresse (37%).

No Brasil, a depressão está em terceiro lugar entre os principais motivos de afastamento, precedida por dores nas costas e Doenças como Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT).

Com isso, o papel do gestor é mitigar as incidências de situações que possam afetar a saúde mental dos seus colaboradores e identificar aqueles que precisam de suporte para tratar possíveis doenças relacionadas ao psicológico, no trabalho.

O que fazer para melhorar a saúde mental no trabalho

Algumas atitudes simples podem ser um diferencial para a melhoria da qualidade das relações no trabalho e consequentemente, da saúde mental dos funcionários.

A primeira delas é a comunicação verbal, que deve ser clara e positiva, evitando sempre interpretações equivocadas.

Com o advento do home office, muitas vezes as conversas se dão através de chat ou Whatsapp, dificultando o entendimento da mensagem através da expressão corporal e entonação de voz.

Por isso é tão importante escolher as palavras ao se comunicar e buscar compreender melhor as mensagens recebidas, sem a premissa de que estão sendo agressivas.

Outra dica é buscar sempre saber um pouco mais sobre o colega, como preferências musicais, gosto por filmes e séries e outros assuntos amenos que podem tornar o ambiente de trabalho mais agradável.

Isso também contribui para abrir um canal de escuta para pessoas que se sentem angustiadas e muitas vezes permanecem caladas e solitárias.

Com isso, podem acabar estourando numa situação de estresse e pressão.

Evitar o julgamento também é um fator que aproxima as pessoas e previne sobrecargas emocionais.

Para quem está passando por essa situação, é fundamental separar um momento do dia para o lazer ou atividades que sejam prazerosas.

O diálogo e a saúde mental

O diálogo é uma ferramenta que evita conflitos ocasionados por possíveis interpretações equivocadas.

É conversando que a gente se entende e essa deve ser uma premissa nos relacionamentos pessoais e profissionais.

No entanto, é necessário ter cuidado com os extremos.

O diálogo que faz menção aos tributos negativos do colega, bem como julgamentos de valores sobre decisões tomadas por ele não são construtivos.

Uma abordagem agressiva e argumentos que desqualificam o outro são fatores nocivos a um diálogo saudável entre colegas de trabalho.

Por isso, aposte em comunicação simples e genuína, como dar bom dia olhando nos olhos e perguntar como está sendo o dia com real interesse na felicidade de quem está ao seu lado.

Como lidar com a crítica no ambiente de trabalho

Lidar com a crítica, de maneira geral, pode ser difícil para todo mundo. Por isso, ao receber uma crítica, é importante ponderar até que ponto a pessoa que fez o comentário está certa.

Se ela apresenta evidências e argumentos consistentes, a crítica deve servir como ponto de reflexão para o aprendizado constante.

Errar é aceitável, ninguém sai de casa para o trabalho pensando: “Quero errar muito no trabalho hoje”.

Por isso, a crítica deve ser recebida como uma oportunidade de aprendizado.

Caso a crítica não faça sentido, considere compreender os motivos de quem fez a crítica e se ela está baseada em uma opinião sobre você ou sobre sua atitude.

Muitas vezes, não se trata de ofensa pessoal, mas do momento que quem fez a crítica está passando 

O valor do elogio para saúde mental no trabalho

Da mesma maneira que as pessoas evitam críticas, gostam muito de ser elogiadas. Entretanto, as críticas construtivas também podem ser encaradas de forma positiva, mesmo que não se trate de um elogio.

Devemos refletir se desejamos tanto ser elogiados que, muitas vezes, esquecemos de elogiar.

Isso pode ser feito de maneira simples, destacando uma boa atitude, palavra ou resultado obtido pelo colega.

Muitas vezes, o ato de elogiar alguém pode ser mais fácil para alguns do que para outros. Isso não quer dizer que o outro é inferior, de alguma maneira. Mas que passou por vivências e experiências diferentes.

Muitas pessoas anseiam tanto pelo elogio que não sabem reconhecer um e acabam focando mais nas críticas do que nas conquistas.

Por isso, elogie alguém de forma sincera e perceba que essa simples atitude impulsiona o outro a realizar suas atividades com mais energia.

O autocuidado é muito importante para começar a cuidar do seu bem-estar mental e também do seu colega.

Quando nos sentimos bem, conseguimos motivar outras pessoas e cuidar, efetivamente, da saúde mental no trabalho.

Seja exercendo a escuta ativa, ensinando ou aprendendo, estamos constantemente nos relacionando com outras pessoas para evoluir.

Portanto, cuidado com a comunicação no ambiente de trabalho, reforços negativos e interpretações tendenciosas.

Evite tirar conclusões antes de dialogar e deixar a conexão emocional de lado em nome da pressa por resultados ou por lucro.

Lembre-se sempre que somos humanos e não robôs e que todos merecem ter um tratamento respeitoso.

Share the Post:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Related Posts