6 dicas para manter a saúde mental na pandemia.

O comprometimento da saúde mental na pandemia tem sido tema de muitos estudos científicos e de debate nos consultórios psquiátricos.

Isso porque nos deparamos com uma situação inédita em todo o mundo, que foi o surgimento do Coronavírus.

Uma pesquisa encomendada pelo Fórum Econômico Mundial cedida à BBC News revelou que 53% da população brasileira apontam piora do bem-estar mental neste período de pandemia.

No começo, não sabíamos muito bem como lidar com tudo isso e fomos nos adaptando aos poucos a conviver com um inimigo invisível que ceifou a vida de cerca de 625 mil pessoas no Brasil, até o momento.

Desde então, foram muitas as mudanças em nossas vidas.

O isolamento social foi um período onde todos tiveram que enfrentar seus conflitos internos e trabalhar estratégias para manter a saúde mental na pandemia. 

O que não podemos esquecer é que a pandemia ainda não acabou e ainda precisamos de uma atenção especial para a nossa saúde mental.

Por isso, separamos 6 dicas e recomendações especiais para você continuar cuidando do seu maior patrimônio: sua saúde mental.

Conte com a ajuda dos especialistas em saúde mental

Antes de trazer sugestões de como lidar com situações atípicas ou críticas, como a pandemia, é fundamental identificar quando é preciso pedir ajuda.

Amigos e familiares podem cooperar muito nesse processo, no entanto os profissionais de psiquiatria e psicologia possuem a bagagem teórica necessária para atender possíveis demandas.

Tenha atenção a alguns sintomas que podem demonstrar que sua saúde mental não está muito bem, como:

  • Insônia ou sono intervalado, daqueles que não proporcionam descanso e relaxamento;
  • Desânimo ou alterações de humor durante o dia;
  • Alterações incomuns no apetite que ocasionam súbita perda ou excesso de peso.
  • Dificuldade em levantar da cama e falta de sentido para começar o dia; 
  • Perda de interesse em atividades que antes sentia prazer em realizar;
  • Dificuldade de cumprir tarefas de rotina, como arrumar a cama ou tomar banho;
  • Irritabilidade e tristeza constantes;
  • Raciocínio lento e pouca concentração. 

A consulta com um psiquiatra alinhada com um processo terapêutico pode ser o início da retomada da sua saúde mental.

Agora sim, vamos às dicas que também são fundamentais para manter a saúde mental na pandemia.

1. Use o exercício físico como aliado da saúde mental

Movimentar o corpo é importante para manter tudo em equilíbrio. Mas, ao contrário do que pode ter sido convencionado, praticar exercícios não serve apenas para manter ou perder peso.

O Ministério da Saúde recomenda a prática de atividade física para a redução do risco de desenvolver doenças associadas ao excesso de peso ou para a diminuição de condições associadas à saúde mental, como ansiedade e depressão.

Então, o Ministério da Saúde desenvolveu o primeiro Guia de Atividade Física para a População Brasileira que destaca a contribuição do exercício físico para o aumento da disposição para realizar outras tarefas, melhorar a qualidade do sono, autoestima e sensação de bem-estar.

2. Cuidado com o bombardeio de informações

O uso da tecnologia é parte da vida cotidiana das pessoas. Desde um simples microondas até o acesso aos smartphones, passamos o dia entremeados por eletrônicos que levam e trazem informações. Na pandemia, este uso se intensificou.

O acesso às redes sociais pode ser prejudicial à saúde mental pela quantidade excessiva de informações, muitas vezes pouco qualificada ou filtrada.

A Internet e a televisão podem sobrecarregar os estímulos e elevar os níveis de estresse e ansiedade, por isso é tão importante ter cuidado com o consumo exagerado de notícias para não afetar sua saúde mental na pandemia.

3. Faça o que você gosta de fazer

Parece óbvio, mas você realmente se lembra dos seus hobbies favoritos antes da Internet ser tão presente na vida de todos?

Nesse sentido, faça uma lista das coisas que você gosta de fazer offline, ou seja, quando está desconectado.

Ler um bom livro, ouvir música ou ver filmes antigos. Talvez, jogar cartas ou jogos de tabuleiro com a família.

As obrigações diárias ocupam muito tempo das nossas vidas e acabam deixando as atividades lúdicas para momentos muito pontuais. Por isso, devemos separar um tempo do nosso dia para o lazer.

4. Crie e mantenha uma rotina diária

A repetição de tarefas durante um determinado tempo pode gerar um hábito. Assim, estabelecer uma ordem para atividades cotidianas, como cuidar da pele antes de dormir, tende a ser um hábito positivo e até mesmo terapêutico.

O autocuidado é importante para a manutenção da saúde mental durante os períodos de crise. Com isso, é possível ter a sensação de controle, segurança e conforto emocional.

Respeite seu ritmo e estabeleça horários para dormir, acordar e fazer refeições.

Por isso, criar um ritual matinal e noturno pode ser interessante para trazer mais equilíbrio para seu dia a dia.

5. Durma o suficiente para descansar a mente

Por falar em horário para dormir, o sono é essencial para manter a saúde mental em dia.

Há divergências sobre a quantidade exata de horas que pessoas adultas devem dormir, mas é recomendável que se evite alimentos estimulantes, como o café, pelo menos 8 horas antes do sono.

As telas também afetam a qualidade do sono, por isso os especialistas alertam para o uso de celular na cama ou da televisão ligada para dormir.

6. Afaste os pensamentos negativos

Durante toda a pandemia, médicos psiquiatras têm recebido relatos da presença constante de pensamentos negativos provocados pelo medo da provável infecção pelo vírus, julgamentos e sentimentos de culpa pela exposição ao vírus e principalmente medo da morte.

São emoções válidas e compreensíveis que geram um elevado nível de estresse e acabam por afetar tanto a saúde mental, quanto a imunidade de qualquer indivíduo.

Desse modo, é importante uma auto regulação no sentido de identificar pensamentos destrutivos e evitá-los, como forma de enfrentamento à doença e a possíveis transtornos psicológicos.

Com essas dicas, é possível sair ou evitar aquela estatística de pessoas que tiveram sua saúde mental afetada durante a pandemia e aprender a conviver de maneira mais resiliente com as dificuldades da vida.

Share the Post:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Related Posts