Possessividade: como identificar no seu relacionamento

Identificar que um relacionamento possui traços de possessividade pode não ser tão simples, para quem está sofrendo de paixão.

Identificar que um relacionamento possui traços de possessividade pode não ser tão simples, para quem está sofrendo de paixão.

Isso não é uma crença popular, é uma comprovação científica! Estudos demonstram que as mesmas áreas do cérebro apaixonado são acionadas quando alguém está sob efeito de alguma droga viciante.

Amar demais é como uma droga que pode desenvolver uma dependência que não é química, mas é emocional.

Isso acontece porque o nosso organismo produz mais dopamina quando estamos apaixonados, de maneira que o cérebro identifica a sensação de prazer produzida por este hormônio e tende a manter essa essa sensação o máximo de tempo possível.

No entanto, é preciso observar que embora a paixão nos faça sentir muito bem, ela pode afetar significativamente nosso poder de julgamento.

Por isso, separamos alguns sinais para identificar quando a possessividade pode estar tomando conta de sua relação e algumas ações que você pode tomar para evitar que isso o transforme num relacionamento tóxico.

Reconhecer traços de possessividade

Como dissemos anteriormente, o reconhecimento do problema pode ser o primeiro desafio para identificar um relacionamento com possessividade característica. Deste modo, a conscientização é o primeiro passo para uma mudança de atitude, isso pode ocorrer por meio de diálogo e, se isso for inviável, você pode buscar ajuda especializada.

Faça perguntas honestas e busque essas respostas junto com seu parceiro, tais como: Nosso relacionamento está nos fazendo bem? Estamos melhor juntos do que antes? Esta relação não afeta a autoestima de algum dos envolvidos? Se a resposta para essas perguntas forem afirmativas, tudo bem, seu relacionamento é saudável. 

Caso contrário, considere rever alguns pontos do seu relacionamento. Identifique qual é a fonte causadora dos problemas e estude as maneiras de evitar esses fatores.

Tentar dar o melhor de si

Depois de identificar o problema, a melhor estratégia não é a acusação ou se culpar demasiadamente. A partir de então, o objetivo é uma mudança de postura para que o relacionamento retorne ao eixo. 

Uma dessas mudanças de atitude envolve se concentrar em si mesmo e tentar canalizar energia para o autocuidado. Isso envolve retomar atividades saudáveis, como esportes ou caminhadas no parque. Lembre-se que se fortalecer faz parte do processo.

Cultivar o amor próprio inspira respeito, que você deve dar e receber. Caso se sinta aprisionada a uma relação de possessividade, tente retomar seus próprios hobbies, suas amizades reais e sua vida social.

O tempo que passam juntos é importante para se divertir e para compartilhar descobertas que fizeram quando estavam em seus universos particulares. Mantenha e proteja a sua individualidade para que a relação não seja a única coisa importante de sua vida.

Outras coisas que você pode fazer para cuidar de si:

  • Ter uma boa noite de sono;
  • Alimentar-se saudavelmente;
  • Tomar um banho quente relaxante, com os produtos de higiene de sua preferência;
  • Agendar uma massagem;
  • Tomar um drink com as amigas.

Reescrever uma nova história

Um relacionamento não está fadado ao fracasso se alguma coisa deu errado em algum momento. Você pode reprogramar a rota e reescrever uma nova história, antes de terminar uma relação.

Se você investiu tanto nessa relação, não custa tentar mais uma vez reerguer o respeito que ambos nutrem um pelo outro.

Praticar o desapego

Liberte-se de qualquer sentimento de culpa ou de arrependimento, da mesma forma como você deve se libertar de mágoas do passado. Perdoar e esquecer também é uma boa maneira de reescrever a sua história. Enquanto você estiver presa a algo que aconteceu no passado, não poderá seguir em frente com sua relação.

Deixe os ressentimentos de lado e compreenda os pontos que fizeram seu parceiro ou parceira tomar certa atitude, uma vez que o sentimento de posse pode ter origem no seu apego.

Viver o momento presente

Escolha viver um dia após o outro, concentrando-se no melhor que a vida pode oferecer. Algumas pessoas escolhem viver num relacionamento falido, sem perspectiva de futuro, onde não há amor e respeito.

O apego ao passado pode estar te impedindo de seguir adiante ou recuperar a sua relação. Infelizmente, não é possível mudar o passado, mas é imprescindível construir o futuro que você merece.

Aprender a lição com a possessividade

Tudo o que acontece em nossas vidas pode servir como lição. Sair de um relacionamento tóxico, marcado pela possessividade, pode ser um excelente aprendizado para não repetir este padrão em outros relacionamentos.

Desta forma, investir num relacionamento não significa perder tempo. Significa que você pode aprender com ele para, numa próxima experiência, agir diferente e começar uma relação estabelecendo os limites viáveis.

Caso você sinta que não consegue dar conta sozinha, peça ajuda para um profissional de um psicólogo ou psiquiatra. E então, decida qual o melhor caminho a seguir. Nos momentos iniciais, pode parecer um pouco difícil enxergar uma lição de situações complicadas, como num relacionamento tóxico. Depois, é possível enxergar quanta coisa positiva é possível aprender com nossas experiências.

Share the Post:

Related Posts